25 Janeiro 2022

Aparelhos auditivos: Reduzem risco de crescimento de demência

Um estudo realizado examinou o efeito do uso de aparelhos auditivos quanto à mudança de deficiência cognitiva leve para evolução de demência. Aparelhos auditivos ajudam a reduzir declínio cognitivo, aponta estudo.
Aparelhos auditivos: Reduzem risco de crescimento de demência

Pessoas com défice cognitivo leve e que usam aparelhos auditivos contam com risco muito baixo de desenvolverem demência, sugere estudo.

No últimos anos, muitos outros estudos mostraram que o uso de aparelhos auditivos reduz declínio cognitivo, no entanto, esse estudo aqui é considerado o primeiro a investigar o efeito dessa prática em pessoas com declínio cognitivo leve.

Risco bastante inferior

O estudo mostrou que entrevistados com défice cognitivo leve e que usavam aparelhos auditivos estavam em risco bastante pequeno de desenvolver todos os tipos de demência, comparados aos que não usavam aparelhos auditivos. O uso de aparelhos auditivos estava, na verdade, associado à redução de  risco de demência.

Será que você passa em nosso teste auditivo?
Tente fazer nosso teste auditivo >
Será que você passa em nosso teste auditivo?
Tente fazer nosso teste auditivo >
Ouça a perda auditiva
Ouça a perda auditiva

Entre as principais constatações, no estudo, foi mostrada a porcentagem dos participantes que não tiveram o déficite cognitivo leve transformado para demência após 5 anos, o que significa dizer que, 19%  dos entrevistados não usavam aparelhos auditivos e 33% dos demais usavam aparelhos auditivos.

Tratamento com aparelhos auditivos é importante

Os autores do estudo concluiram que há uma mudança mais lenta de défice cognitivo leve para demência, em indivíduos que usam aparelhos auditivos. E eles acrescentam que uma identificação eficaz e tratamento para deficiência auditiva podem reduzir a ocorrência de crescimento de demência.

Os autores do estudo sugerem que um nível mais elevado de processo cognitivo, envolvendo a memória quando a deficiência não é tratada, pode ser comprometido por conta de recursos mentais que são canalizados para  percepção encontrarem-se distantes do armazenamento de informação.

Sobre o estudo

No estudo participaram 2.114 pessoas com deficiência auditiva e declínio cognitivo acentuado, indo de défice cognitivo leve à demência. Dos participantes, 1.246 usavam aparelhos auditivos , enquanto que 768 não usavam.

O estudo “Association of the use of hearing aids with the conversion from mild cognitive impairment to dementia and progression of dementia: A longitudinal retrospective study” foi publicado na revista científica Alzheimer’s & Dementia: Translational Research & Clinical Interventions.

Fontes: pubmed.ncbi.nlm.nih.gov e the journal Alzheimer’s & Dementia: Translational Research & Clinical Interventions

Saiba mais:

Receba nossas notícias sobre audição

Se você deseja receber notícias nossas sobre audição e outros assuntos relacionados à audição, é só se inscrever no nosso boletim informativo.
Receba notícias atualizadas da Hear-it.