12 Maio 2020

Estudo taiuanês confirma correlação entre deficiência auditiva e demência

Deficiência auditiva está associada a risco de demência, especialmente, entre pessoas com 45 a 64 anos de idade, aponta estudo taiuanês.

De um total de 16.270 participantes de um estudo taiuanês, 1.860 desenvolveram demência. A taxa de incidência de demência no grupo de pessoas com deficiência auditiva era mais elevada comparada ao grupo de pessoas sem deficiência auditiva.

Durante o período de acompanhamento, aproximadamente, 20 entre 1.000 pessoas, durante um ano, e que tinham deficiência auditiva desenvolveram demência, enquanto que apenas 14 entre 1.000 pessoas sem deficiência auditiva, durante um ano, desenvolveram demência.

No estudo, os subgrupos que foram analisados mostraram que entre os três grupos etários (45-64, 65-74 e 75 anos, ou acima disso), deficiência auditiva estava realmente associada a risco de demência no grupo de 45 a 64 anos de idade.

Outros fatores de risco

O estudo também mostrou que doença cerebrovascular, diabetes, ansiedade, depressão, doenças relacionadas ao alcoolismo e lesão na cabeça estão, claramente, associadas à demência.

O estudo coletou dados da National Health Insurance Research Database de Taiwan entre os anos de 2000 e 2013, cujos grupos consistiam em um grupo que foi diagnosticado com deficiência auditiva e um grupo de controle sem deficiência auditiva.

O objetivo do estudo era investigar a associação entre deficiência auditiva e incidência de demência com adultos taiuanêses da população em geral.

O estudo “Association of Hearing Loss With Dementia” foi publicado na  JAMA Network Open.

Fontes: www.dailymail.co.uk e JAMA Network Open

 

Receba notícias atualizadas da Hear-it.