03 Abril 2019

Mais da metade de todos os trabalhadores de construção têm deficiência auditiva

Segundo estudo, 55% dos trabalhadores americanos, do setor de construção, têm deficiência auditiva.

Um estudo realizado com trabalhadores americanos de construção mostrou que55% deles têm deficiência auditiva.

O estudo aponta que a prevalência de deficiência auditiva aumenta, rapidamente, com a idade. Pessoas abaixo de 45 anos  contam com uma cifra de deficiência auditiva de 16,1%, enquanto que a cifra de pessoas acima de 65 anos de idade chega a 86,4%.

Deficiência auditiva varia, consideravelmente, quanto à raça, ou seja, 30,2% entre trabalhadores afro-americanos, 49,5% entre hispânicos, 56% entre asiáticos, 61,7% entre caucasianos e 65,7% entre os que são classificados como povo do Alasca ou indianos.

Mulher x Homem

Mulheres são menos propensas a ter deficiência auditiva do que homens. O estudo mostrou que 22,8% das mulheres têm perda auditiva, comparadas a 60,9% dos homens. A baixa predominância de deficiência auditiva, entre mulheres, está relacionada ao tipo de trabalho que elas exercem, como também a pouca frequência à exposição a ruídos e altos ruídos, aponta estudo.

Duração de trabalho

A duração de trabalho aumenta, consideravelmente, risco de deficiência auditiva. Pessoas que têm trabalhado em construção por mais de 30 anos contam com um risco de 3,8 vezes a mais de ter deficiência auditiva, comparado às que trabalharam na construção por menos de 10 anos.

Exposição a ruídos

Ruído alto, ou muito alto foi associado significantemente à deficiência auditiva com um risco relacionado de 1,20 vez para pessoas expostas a ruídos acima de 90% do tempo.

Outros fatores de risco

Exposição a solventes orgânicos foi também significantemente associado à deficiência auditiva.

No estudo, tanto fumantes ativos quanto passivos estavam consideravelmente em alto risco de ter deficiência auditiva, comparados aos que nunca haviam fumado.

Risco maior para trabalhadores de construção

O risco de problemas auditivos, entre trabalhadores de construção, foi bem mais elevado do que  entre o grupos de controle de trabalhadores de indústria que tinham se exposto a ruído acima de 80 decibéis (dB).

Sobre o estudo

O estudo analisou mais de 19 mil trabalhadores que tinham participado no programa Building Trades Medical Screening Program (BTMed).

Testes audiométricos foram realizados com frequências de 500 a 8000 Hz.

Deficiência auditiva foi definida como frequência binaural  de limiar acima de 25 dB, calculada como articulação de índice de média entre frequências de 1,2,3 e 4 kHz.

O estudo “Hearing loss among older construction works: Updated Analyses” foi publicado na revista americana American Journal of Industrial Medicine, em 2018.

Fonte: American Journal of Industrial Medicine

Saiba mais: