17 September 2019

OMS: Deficiência auditiva representa fator de risco para declínio cognitivo e demência

A Organização Mundial de Saúde, sigla em inglês, WHO, publicou orientações para reduzir risco de declínio cognitivo e demência. No guia, deficiência auditiva é apontada como um dos fatores de risco.

A Organização Mundial de Saúde publicou em 2019, o guia “Risk reduction of risk of cognitive decline and dementia – WHO guidelines”.
No guia, o controle de deficiência auditiva é um dos 12 fatores recomendados para redução de risco de declínio cognitivo e demência.
Vários estudos científicos, nos últimos anos, têm associado deficiência auditiva com declínio cognitivo e demência.

As outras 11 recomendações são:

  • Intervenções de atividades físicas
  • Intervenções de suspensão de tabagismo
  • Intervenções nutricionais
  • Intervenções voltadas para o consumo desordenado de álcool
  • Intervenções cognitivas
  • Atividades sociais
  • Controle de peso
  • Controle de hipertensão
  • Controle do diabetes (diabetes mellitus)
  • Controle da dislipidemia
  • Controle de depressão

Demência - Um problema mundial de saúde

Demência é um problema sério de saúde no mundo inteiro, como escreveu a OMS, no prefácio do guia de orientações:

“Demência é um problema de saúde que tem crescido rapidamente, afetando cerca de 50 milhões de pessoas no mundo inteiro. Existem, aproximadamente, 10 milhões de novos casos a cada ano, e este número será triplicado em 2050. Enquanto não houver cura para o tratamento de demência, a gestão proativa de fatores de risco modificáveis pode retardar ou diminuir o desencadeamento progressivo de doenças.”

O guia da OMS sobre redução de declínio cognitivo e demência pode ser encontrado aqui.

Fontes: www.medicalnewstoday.com e www.who.int

Saiba mais: