12 Dezembro 2017

Tinnitus causa alterações no cérebro

As redes neurais do cérebro são alteradas quando uma pessoa experimenta tinnitus, aponta estudo americano. As alterações fazem com que o cérebro tenha que se concentrar mais, e isso significa dizer que a pessoa que tem tinnitus sinta-se mais cansada e distraída.

Tinnitus faz com que a mente fique mais conectada com uma parte do cérebro -  que é ativa - quando a pessoa se concentra em algo específico.

As alterações ocasionadas por tinnitus fazem com que o cérebro se torne menos conectado com essa rede neural no cérebro, a qual é usada quando a pessoa relaxa. E isso afeta as pessoas que têm tinnitus, de um modo negativo, uma vez que elas se tornam mais cansadas e distraídas. Esses são dados de um estudo americano.

Por que tinnitus faz você sentir-se cansado(a) e distraído(a)

Usando ressonância magnética nos pacientes , o estudo revelou que tinnitus estava numa região específica do cérebro chamada de precuneus. Essa parte do cérebro está conectada à duas redes relacionadas, inversamentes, ao cérebro chamadas de região do lobo frontal e região do lobo parietal.

  • Lobo Frontal: Essa parte do cérebro é ativada quando algo chama a atenção de uma pessoa.
  • Lobo Parietal: Essa parte do cérebro funciona como algo “distante”, ou seja, a função do cérebro ocorre quando a pessoa  encontra-se em estado de repouso, e quando não está pensando em algo específico.

A região do cérebro, precuneus de uma pessoa com tinnitus crônico estava mais relacionada com a lobo frontal e menos com a lobo parietal. Isso significa dizer que pessoas com tinnitus  não são realmente mais  distraídas quando descansam, e isso explica o motivo pelo qual muitas pessoas sentem-se cansadas. Além disso, as pessoas com tinnitus crônicos podem experimentar problemas de concentração devido a atenção delas está mais voltada para tinnitus do que necessário, e desso modo, a atenção para outras coisas é dimunuída.

Comprovação de tinnitus

Não são apenas os dados do estudo que ajudam às pessoas a entenderem outras com tinnitus, mas eles fornecem também uma corroboração acerca da experiência dessas pessoas com tinnitus.

“Isso é uma prova para pacientes com tinnitus, as quais são reais e invariáveis”. O estudo teve como responsável Fátima Husain, Professora da Universidade de IlIinois, University of Illinois, nos Estados Unidos.

O uso de seu cérebro influencia tinnitus

Algumas pessoas têm se adaptado aos sintomas de tinnitus, e experimentado menos angústia. A experiência de dimunuição de stress ocorre devido ao fato desses pacientes usarem diferentes regiões quando processam informações emocionais, afirma a Professora responsável pelo estudo, Husain, que descobriu isso em outra pesquisa feita na Universidade de IIIilinois, nos Estados Unidos. Esses pacientes usaram mais o lobo frontal. E o fato desses pacientes terem usado mais o lobo frontal, possibilitou o controle emocional, responsabilizando e reduzindo também o estresse causado por tinnitus, revelou o estudo.

Deficiência auditiva causa alteração na mente

Um outro estudo americano afirma que o cérebro se reorganiza quanto à deficiência auditiva, mesmo após três meses de se experimentar deficiência auditiva leve. Desse modo, os sentidos como visão e tato  começam a ter controle, na mente, sobre a audição. E isso causa cansaço e problema relacionado à concentração. Apesar da rápida reorganização, o cérebro pode voltar ao estado normal após 30 dias com o uso de aparelhos auditivos.

O estudo “Connectivity of precuneus to the default mode and dorsal attention networks: A possible invariant marker of long-term tinnitus” foi publicado em agosto de 2017 pela revista científica NeuroImage: Clinical in August 2017.

Fontes: NeuroImage: Clinical 16 (2017) 196-204 www.news.illinois.edu & Bladet Hørelsen, 3 (2017)