27 Fevereiro 2020

Trabalhar como professor pré-escolar põe audição em risco

Trabalhar em pré-escolar representa aumento de risco no que diz respeito a dificuldades auditivas, dentre elas, aumento de risco de se contrair tinnitus e deficiência auditiva, aponta estudo sueco.

Um estudo sueco mostrou que trabalhar em pré-escolar, como professor, aumenta risco de contrair tinnitus, deficiência auditiva, hiperacusia, dificuldade de compreensão da fala, e deficiência  auditiva induzida por ruído.

O estudo analisou homens entre 24 a 65 anos de idade que consistia em 4718  professores do pré-escolar e 4122 em grupo de controle.

Aumento de risco

O resultado principal do estudo foi um aumento de risco significante de sintomas voltados para audição, entre professores pré-escolar, ao ser comparado com o grupo de controle.

O estudo mostrou que 60% de aumento de risco de deficiência auditiva  (1.6 risco atribuível) e 70% de aumento de risco de tinnitus ( 1,7 risco atribuível).  O risco relacionado à dificuldade de percepção de fala foi aproximadamente o dobro (1,9 risco atribuído), entre professores de pré-escolar.

O risco de professores terem hiperacusia e dificuldade auditiva induzida por ruído era acima do dobro, o que siginificava  alto risco atribuído a professores de pré-escolar(2,3 e 2,4), respectivamente, comparado com o grupo de controle.

Pouco uso de protetor auditivo

O estudo mostrou também que 75% dos professores do pré-escolar relataram falar alto devido ruído no trabalho, comparado com 29% de grupo de controle. Apesar disso, um número menor de professores do pré-escolar informaram fazer uso de protetor auditivo no trabalho.

O estudo “Working in preschool increases the risk of hearing-related symptoms: a cohort study among Swedish women” was published in the International Archives of Occupational and Environmental Health.

Fontes: www.nibi.nlm.nih.gov e International Archives of Occupational and Environmental Health.

 

Saiba mais:
Receba notícias atualizadas da Hear-it.