11 Fevereiro 2020

Tratar deficiência auditiva e visão subnormal proporciona anos mais saudáveis

Deficiência auditiva e visão subnormal causam efeitos de expectativas, tanto na vida como na saúde, para pessoas idosas, aponta estudo.

Dificuldades auditivas e visuais levam a pessoa a ter expectativas tanto voltadas para a vida como para a saúde, no que diz respeito a duração de vida com ou sem problemas de saúde entre adultos, aponta estudo realizado por pesquisadores da DUKE-NUS Medical School em Singapura.

Os pesquisadores examinaram os impactos de respostas de pessoas com dificuldades visuais e auditivas, durante anos de vida, com e sem limitações de funções físicas e atividades diárias.

No estudo, adultos com dificuldades visuais ou auditivas, ou com ambas, tinham expectativa de viver mais  tempo com limitações de funções físicas em suas atividades diárias, e tinham  menos anos sem limitações para funções físicas de seu cotidiano, comparado com pessoas que não tinham nenhuma dificuldade. A diferença foi mais significativa para pessoas com ambas dificuldades comparada com àquelas que não tinham nenhuma dificuldade.

Apenas deficiência auditiva

Em 2009, 40,6% das pessoas com deficiência auditiva experimentaram limitações de funções físicas, e 20,8% experimentaram limitações em suas atividades diárias, comparadas com 28,2 % e 8,9% que não tinham nenhuma dificuldade. Em 2011, 52,2% dos que tinham deficiência auditiva experimentaram limitações em funções físicas, e 26,6% experimentaram limitações em suas atividades diárias, comparadas a 29% e 9,7% entre pessoas sem dificuldade. Em 2015, os números subiram para 60,4% e 29,4%, respectivamente, de limitações de funções físicas e como também de atividades diárias para pessoas com deficiência auditiva, comparados a  40,7% e 12,4% a pessoas sem dificuldades auditivas.

Muitas deficiências no decorrer da idade

Durante a pesquisa de 2009 a 2015, a percentagem de adultos com deficiência visual passou de 12% para 17%. A percentagem de pessoas com deficiência auditiva aumentou de 6% para 9%, e de pessoas que tinham ambas deficiências aumentou de 9% para 13%.  A significativa proporção,  ou seja, de 34,6% de pesquisas realizadas de 2009 a 2011, e de 42,7% de pesquisas feitas de 2011 a 2015,  mostrou que pessoas  experimentaram mudança na visão e estado de deficiência auditiva.

Sobre o estudo

No estudo, 3.452 mil participantes foram entrevistadas em 2009, e acompanhados em 2011 e entrevistados novamente em 2015, através de estudo nacinal longitudinal representativo em residências antigas com pessoas de 60 anos ou acima disso do  Panel on Health and Ageing of Singaporean Elderly.

O estudo “The Impact of Self-Reported Vision and Hearing Impairment on Health Expectancy” foi publicado no Journal of the American Geriatrics Society.

Fontes: www.sciencedaily.com, www.medicalxpress.com  e Journal of the American Geriatrics Society.

 

Receba notícias atualizadas da Hear-it.