07 Julho 2020

Vamos proporcionar audição segura para todos

A Organização Mundial da Saúde (OMS), sigla em inglês WHO, através de uma iniciativa, está trabalhando no sentido de criar um mundo onde a audição esteja protegida de ameaça de sons prejudiciais à saúde auditiva.

Expor-se a sons altos durante um período longo de tempo, em atividades de entretenimento, ou quando se está ouvindo música pode prejudicar sua audição, e causar deficiência auditiva permanente e tinnitus.

Por isso, uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), intitulada “Make Listening Safe workgroup”, “Mantenha a audição segura no ambiente de trabalho” tem como objetivo criar um mundo, onde a audição das pessoas  esteja protegida de ameaças de sons prejudiciais à saúde auditiva.

Diretrizes atuais

Existe hoje em dia um consenso, claro, de que exposição durante oito horas, 85  decibéis (dB,) em média,  por dia leva  a pessoa a ter deficiência auditiva irreversível induzida por ruído.

Para avaliação de protetor auditivo no trabalho, leitor de música personalizada, e amplificadores personalizados a exposição máxima pode ser abaixo da média de 80 decibéis(dB) durante 40 horas.

Amplificadores de sons personalizados que não têm condições de serem mensurados, a quantidade de exposição de som semanalmente precisa ser limitada sempre em 95(dB).  Configurar a saída máxima de nível não é, pois, aconselhável uma vez que isto pode resultar na compressão elevada na fonte de arquivo de música, ou no amplificador.

A população encontra-se em condições de risco

Normas de segurança de som na indústria, em aparelhos de som personalizados e amplificadores personalizados são muito importantes no sentido de evitar deficiência auditiva e outros danos auditivos. Para cada área mencionada, anteriormente, a Organizaão Mundial da Saúde (OMS) estima que a população encontra-se em risco:

  • No mundo inteiro, 16% de deficiência auditiva em adultos está relacionada a atividades ruidosas.
  • No mundo inteiro, 1,1 bilhão de adolescentes e adultos estão em risco de deficiência auditiva devido à falta de segurança no uso de instrumentos auditivos personalizados, como também  exposição a níveis de sons prejudiciais em locais de entretenimento.
  • No mundo inteiro, há  466 milhões pessoas com dificuldades auditivas ( o equivalente a 6,1% da população mundial).

A “Make Listening Safe workgroup” é uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde,  ou seja, um marco no fórum mundial da audição. A iniciativa tem como objetivo criar um mundo onde a audição das pessoas esteja protegida de ameaça de sons prejudiciais  à saúde auditiva.

Visão geral das normas

Desde 1971 até agora muitas normas foram criadas sobre ruídos na indústria:

  • Em 1971, a International Standards Organisation publicou o ISO 1999 - Standard on Acoustics - Assessment of occupational noise exposure for hearing conservation purposes”: (o risco de deficiência auditiva induzida por ruído aumenta significantemente quando uma pessoa se expões a ruídos de 85 (dB), durante 8 horas ao dia, ou acima disso.
  • Em 1972 a primeira diretriz americana foi publicada, pela NIOSH (National Institute for Occupational Safety and Health) em que estabelecia que nenhuma exposição de ruído no ambiente de trabalho  deveria equiparar-se ou exceder-se a níveis de ruído de 85 (dB)durante 8 horas.
  • Em 2003 a  European Commission publicou a EU Noise at Work Regulations (Directive 2003/10/EC)  com 3 medidas de exposição baseadas em 80 (dB), em que protetores auditivos precisavam ser avaliados; 85 (dB)em que protetores auditivos precisavam ser usados, e 87 (dB) em que  a audição estava totalmente exposta ao limite.

Após as normas de exposição a ruídos no trabalho, desde 2010 até agora, novas normas têm sido desenvolvidas para proporcionar as pessoas o uso  seguro de sistemas de som.

  • Em 2010, a International Technical Commission (ITC) publicou  a primeira norma IEC 62368-1 em vídeo e áudio.(o nível de saída de aparelho de som pessoal, para uma saída que esteja abaixo ou igual a 85 (dB) é considerado seguro, o nível de ruído contínuo (LAeq), saída acústica T deve ser menor ou igual a saída acústica de 100(dB)
  • Em 2018 a nova diretriz da ITU e OMS (WHO), H.870 “Normas de segurança de instrumentos /sistema de som foi publicada (a quantidade de som semanal de headphones e protetores auriculares relacionados a aparelhos de som personalizados  deveria ser limitada ao equivalente a 75 ou 80 (dB) para 80 horas por semana.
  • Desde outubro de 2019 encontra-se disponível essa função, quantidade de exposição de som seminal, no aplicativo de saúde no iPhone. Esperamos que muitos smartphones e fabricantes de aparelho auditivo possam contar com essa função, em breve.

As normas mais recentes de segurança de som estão voltadas para amplificadores personalizados de som.

Em 2017, a Consumer Technology Association, uma associação de consumidor de tecnologia, publicou a ANSI/CTA standard 2051 on “Personal Sound Amplification Performance Criteria”, uma norma voltada para critério de desempenho de amplificadores de som personalizados.  ” (The maximum OSPL90 output level shall not exceed 120 dB SPL measured in a 2cc coupler), algo como que a saída máxima  do nível de acústica não podia exceder a 120 (dB) do nível de pressão do som medido em 2 acopladores.

Em 2019 a ITU publicou a norma  ITU-T H.871, a qual descreve  exigências de segurança para amplificadores personalizados, sigla em inglês, (PSA).

  • Para os PSAs com capacidade de medir a quantidade semanal  de som é imprescindível que o som semanal máximo não seja acima de 80 (dB) durante 40 horas.
  • Quando  os PSAs nãoencontram-se em condições de medirem a quantidade de som semanal, a saída máxima de instrumentos precisa ser sempre limitada a 95 (dB).

Para mais informações detalhadas, segue o link: www.entandaudiologynews.com

Ou aqui: WHO e AEA

Saiba mais:
Receba notícias atualizadas da Hear-it.